• Bruna Couto

Você sabe o que é a Advocacia Sistêmica e como ela pode ajudar as Empresas?

Atualizado: 10 de Set de 2020


É muito comum que a Advocacia Humanizada, que também é chamada de Advocacia Sistêmica, seja associada exclusivamente a temas e conflitos relacionados ao Direito de Família. Acredito até que o uso do termo “humanizada” contribua para essa interpretação, já que, por óbvio, os conflitos familiares demandam uma sensibilidade maior do (a) advogado (a) que atua na área e, consequentemente, de conhecimentos específicos para que ele seja capaz de oferecer uma solução menos traumática possível às famílias.


Todavia, acredito que a atuação da advocacia sistêmica é extremamente importante e atual para ser aplicada também nas empresas, e pode gerar efetiva contribuição dos profissionais do direito para com os resultados das organizações.

Recentemente li um post brilhante de uma colega de profissão associando o exercício da advocacia a uma dor de cabeça, que quando sentimos corremos para tomar um remédio sem ao menos tentar entender qual a causa do sintoma. Sim, a dor de cabeça é apenas um sintoma. Se você sente ela, é porque provavelmente tem alguma coisa errada e a chance de ela voltar depois do efeito do remédio é enorme! Sabe por quê? Porque a causa da dor não foi tratada!


A Advocacia Sistêmica é exatamente isso: tratar a causa, não só o problema!

Penso que seu exercício é extremamente necessário e importante em várias áreas do direito e, principalmente, para o mundo corporativo e empresarial, por uma única razão: não basta que advogados (as) sejam apenas “resolvedores (as) de problemas”, é preciso serem capacitados (as) para contribuir de forma estratégica com os clientes e evitar ou minimizar os problemas.

Explico: a mesma analogia utilizando a dor de cabeça pode ser feita com as empresas que tem repetitivos processos consumeristas (problemas com os consumidores de seus produtos e serviços) ou repetitivas ações trabalhistas (problemas com funcionários), por exemplo. Se constantemente surgem novas ações do mesmo tipo contra uma determinada organização, é porque certamente a causa do problema não foi tratada, somente o sintoma. O processo chega, o advogado defende, o processo termina e logo surge outro processo igual!


Há tempos os departamentos e escritórios jurídicos vêm se transformando. Não mais são passivos e só entram em ação quando existe um problema, mas sim atuam de forma ativa para contribuir com os clientes no sentindo de evitar problemas repetitivos e, quando não os evitar, encontrar a melhor e menos custosa solução. Quando falamos de empresas, falamos de dinheiro, e a redução de custos e aumento de lucros sempre será o objetivo principal da operação empresarial. Se o jurídico for capaz de auxiliar na busca deste objetivo, ele não mais será o departamento chato e burocrático, mas passará a ser valioso para a organização.

Por isso, penso ser importante que advogados (as) sejam cada vez mais multidisciplinares, conhecedores de outras áreas, estratégicos e familiarizados com procedimentos e tecnologias que podem auxiliar na coleta e leitura de dados capazes de identificar a causa dos problemas e, ao mesmo tempo, inovar na solução dos conflitos, quando não evitá-los.

O Brasil é um dos países com o maior índice de litigância (processos judiciais em andamento) o que contribui diretamente para a morosidade do judiciário. Embora o brasileiro não tenha uma cultura litigante (briguenta), ainda assim o judiciário está abarrotado de processos. Como isso é possível?


Eu não quero aqui justificar a demora excessiva da justiça, muito pelo contrário, há muito o que ser feito pelo próprio Poder Judiciário para melhorar o tempo de resposta para quem recorre a ele. Porém, será que nós advogados não podemos contribuir diretamente para a melhora deste cenário? Será que não está na hora de utilizarmos de todas as ferramentas tecnológicas, inovadoras e dos mais variados campos de estudos - hoje disponíveis tão facilmente - para que possamos ser profissionais mais completos e atuar além dos processos judiciais demorados?


Em uma outra oportunidade falaremos de alguns exemplos e possibilidades de multidisciplinaridade e ferramentas inovadoras que podem e devem ser utilizadas na advocacia e que são capazes de tornar o profissional mais contributivo com as empresas e negócios em geral.


Se você ficou com alguma dúvida específica relacionada a esse tema, é só nos enviar um e-mail através de nosso Formulário de Contato!